Eram Heróis Contra A Droga

Eram Heróis Contra A Droga 1

CONCORDARAM em Barcelona e em qualquer coisa mais. Esta semana Julio Alberto tentou o suicídio. O calvário de quem era marido da sobrinha do banqueiro Afonso Escámez ainda não terminou. Você vai ajudá-lo dessa vez Maradona? 23-5-1988. Um jogo de homenagem ao Platini, no estádio francês do Nancy, tornou possível o reencontro dos 2 treinadores, que, segundo reconheceram, iniciaram-se no consumo de cocaína em seus anos no Barcelona. A coleta do encontro foi destinada à Fundação que o homenageado construído pra proteger adolescentes contra a droga.

Passados os anos, em tal grau Maradona como Julio Alberto finalizaram admitindo que eles bem como eram vítimas da cocaína. Quarto 342 do hotel Condes de Barcelona podes ser o final de sua longa estrada crucis de não ter sido por estes braços que lhe arrancaram do balcão. Foi um polícia em incumbência de anjo da guarda.Após um enfermeiro, caminho da ambulância que o levaria ao psiquiátrico, ouviu aquelas coisas de desequilibrado: “Estou possuído pelo demônio”.

mais uma vez, o ídolo caído a todo o momento volto a morder o pó. Diz que desejas morrer, sem mais. E as expressões velhas se lhe eliminam como facas pela garganta. “Convido a Diego Armando que venha a curar-se das Maldivas”, comentou, em 1996, a partir de seu retiro nas ilhas situadas a 15.000 quilômetros da cidade que o viu tocar o céu. Falava, desse modo, ressuscitado de um longo pesadelo que começou insuficiente após deixar o futebol, em 1991, e de pôr término ao teu terceiro casamento.

Tudo o que foi passado retorna com outras obscuridades. Uma vez me tendí pela rua pra ser atropelado, entretanto o caminhão passou ao meu lado”. Salvo a desilusão dos anos (de 1982 a 1991) o que ocorreu com o clube catalão, Julio Alberto Moreno Casa nunca foi um cara de sorte. Nascido em Candas (Astúrias), em sete de outubro de 1958, seus pais logo se separaram.

Aos 15 anos mudou-se pra Madrid. Ao tornar-se profissional com o Atlético fez de botões do Banco Vitalício, descarregador de caminhões e agente de seguros. No Camp Nou, pousou a par do que Maradona, em 1982. E compartilharam algo mais do que esporte.Cresceu com o sucesso a respeito do gramado, subiu à crista da onda da vida social.

  • O jornal A Gazeta
  • quatro Real Madrid
  • Fenomenal. Ele colocou uma apólice e entregas na Capitania
  • seis Aguilar. Segunda parte. Cap. XVI, pág. 628 a
  • Você me deixa anormal – 2010 – Em total totalidade

Foi a terceira decadência de casal, com Patricia Saurí, que afectaram eternamente o solo ante seus pés. Tudo se precipitou na sua contra. Generoso até a ingenuidade, logo sentiu o tédio do que se vê intimamente traído por todas as tuas mulheres. “Há uma frase entre os cocainómanos: uma listra é muito e 1 mil não são nunca suficientes.

Quando você está acoplado só pensa em ganhar dinheiro para adquirir cocaína”. São suas expressões. Durante anos, partilhou a perica e esporte. Não era o único. Maradona tem contado. Se há uma coisa que Julio Alberto nunca foi é covarde. Em 1995, apresentou suas memórias particulares, a Minha verdade, em que descreve como a droga (cocaína principalmente) arruinaram sua carreira e teu ambiente familiar.

Os lucros da venda do livro os destinou ao Projeto Homem. Não era a primeira vez que ajudava a disputa contra a droga. Ele e Maradona se prestaram a participar em jogos cujos lucros destinavam-se a combater o consumo de estupefacientes.

As ilhas do Oceano Índico, ao sul da Índia, foi a começar por 1966, o ambiente onde Júlio Alberto buscou refúgio. Quis botar terra e mar pelo meio. O sonho durou dois anos. Abriu uma loja de souvenirs, representou hotéis e voltou a jogar futebol em um time, denominado como Valência, o que bem como treinava.