O Que É A Curva De Taxas?

O Que É A Curva De Taxas? 1

Os investidores se sobresaltaron terça-feira, ao perceber que a famosa curva de tipos norte-americanos foram investidos, pela primeira vez, em mais de uma década. Após meses acompanhando de perto o teu achatamento, a transformação aconteceu em concomitância com as dúvidas sobre a trégua comercial entre os EUA e a China e a união de ambos os fatores acabou lastrando os principais índices de Wall Street.

O Nasdaq, Dow Jones e o S&P 500 encerrou com quedas superiores a 3% e deixaram no ar muitas perguntas sobre a temida investimento da curva de taxas. O que é a curva de taxas? Como seu respectivo nome sinaliza, trata-se graficamente por uma curva que, no caso dos tipos, reflete os retornos que fornece o mercado de dívida nos diferentes prazos de vencimento.

Geralmente desenha uma inclinação positiva, porque os rendimentos da dívida a enorme prazo são maiores do que curto. O que significa que se reverta? Quando a renda fixa de curto período, paga-se mais cara que a enorme prazo, entra em jogo a escolha de que em um futuro mais ou menos próximo, um definido povo irá a ter problemas financeiras. Quer dizer, atua como um indicador de uma próxima recessão. Por que tem horror?

Historicamente, uma inversão da curva serviu de prenúncio de uma queda econômica posterior. Efetivamente, todas as recessões que se têm produzido nos EUA desde o decênio de sessenta têm sido precedidas por uma inclinação invertida. Após a queda financeira iniciada com a queda do Lehman, a economia norte-americana foi acorrentado a uma recuperação sustentada que encadeia prontamente dez anos consecutivos. O achatamento da curva de taxas nos últimos meses e investimentos pela terça-feira, mais do que um sintoma de queda iminente, é entendido como um sinal de alerta sobre a alteração no período económico. Há razões para estar preocupados?

Não. “O indicador mais confiável é a inversão da curva no trecho três meses a 10 anos, não é em tal grau o de três a 5 anos, que é o que aconteceu terça-feira nos EUA”, aponta Torre. Portanto, há um traço iminente de recessão?

Em absoluto. Todos os indicadores macroeconômicos apontam para uma moderação do avanço, uma desaceleração no ritmo dos avanços a grau global, entretanto isto não significa que estejamos às portas de uma nova recessão. Nesta linha apontam os principais organismos internacionais, como o FMI, que espera um acréscimo global de 2,9% para o próximo exercício, e assim como as grandes firmas de observação que monitoram o mercado. O Deutsche Bank, tendo como exemplo, prevê um avanço de 2,4% do PIB norte-americano pra 2019, “um número muito distanciado da recessão”.

Carlos Garcia, de Navarra Soma, pergunta a Pedro Sánchez se acredita que, Unidas Podemos é um prazeroso parceiro, e lhe afea teu pacto com o EH Bildu em Navarra: “Bildu continua sem condenar o terrorismo da ETA para o dia de hoje”.

  • José Haro Hernandez
  • “Appendix, Compson, 1699-1945” (1946)
  • Revo (substituídos pela Inova, vendido como Kijang Inova na Indonésia)
  • 2 Matadores profissionais
  • San Diego de Alcalá. Empedradillo s/n. San Diego, Texcoco, Film Noir. C. P. 56200. Paróquia 059
  • 6 Das CPR saem à luminosidade pública
  • 1 de julho: Eleições federais

Ana Oramas abronca desde a tribuna os deputados como “uma avó canaria”: “vocês São bonitos”, e pede um esforço. Coligação Canária. “Façamos um pacto de Estado das forças que não existem dúvidas em um pacto de Estado”, sublinha, “um Governo não é negociado em 3 dias”.

Oskar Matute, porta-voz do EH Bildu: “Nossos 4 votos, não eram pra que você fosse presidente, porém para evitar que Casou, Rivera ou Abascal foram presidentes, um trato antifascista”. Começa o turno da expressão do Grupo Misto com Laura Borràs, porta-voz de Junts per Catalunya. Sánchez diretamente: “Nossos presos são presos políticos, entretanto você é um aprisionado político”.