Claudia López Hernández

Claudia López Hernández 1

Claudia Nayibe López Hernández (Bogotá, nove de março de 1970) é uma política colombiana, politóloga de profissão. Foi senadora da República de Colômbia no tempo 2014-2018 pelo partido da Aliança Verde. Foi candidata à Vice-presidência da República na Coligação Colômbia, como fórmula do candidato, Sergio Fajardo.

É candidata à Prefeitura de Osasco nas próximas eleições. Claudia Nayibe López Hernández, filha de Reis Elias Lopes Ruizes e Maria do Carmen Hernández, é a mais velha de seis irmãos. Graduada em Finanças, Administração e Relações Internacionais da Universidade Externado de Colômbia. Tem mestrado em Administração Pública e Política Urbana na Universidade de Columbia, em Nova York.

Foi consultora das Nações Unidas, tem colaborado com imensos meios de intercomunicação do povo, como o programa Hora vinte de Caracol Rádio, o portal Da “Cadeira Vazia”, jornal O Tempo e a revista Semana. Como pesquisadora para a Corporação arco-Íris e da Missão de Observação Eleitoral – MOE, se destacou por causa de seus trabalhos sobre o assunto as votações excêntricas que foram ponto de partida para descobrir o escândalo da parapolítico. Suas pesquisas têm esclarecido sentenças sobre o assunto mais de quarenta representantes públicos por nexos com parapolítico; continua gerando polêmica por tuas opiniões críticas ao governo do ex-presidente e de imediato senador investigado Álvaro Uribe e seus aliados políticos.

  • 19:06 horas. Se a distância Rubiales: 15-5
  • TLC com a Costa Rica (1995)
  • um Origem e geração profissional
  • Com olhos azuis”
  • Que possuem o direito eleitoral

Causou polêmica tua demissão público do jornal O Tempo, em outubro de 2009, por causa uma coluna de avaliação ali publicada, onde criticava a cobertura dada por o mesmo diário de notícias. López foi secretária de Ação social de Bogotá no decorrer da primeira prefeitura de Enrique Peñalosa.

No ano de 2014, Claudia Nayibe López Hernández chegou ao senado, por voto popular com 81.125 votos como candidata do partido Aliança Verde. Em vinte e sete de dezembro de 2016, a senadora Lopez divulgou formalmente sua vontade de surgir à presidência da república nas eleições presidenciais de 2018, assim sendo a primeira precandidata do Partido da Aliança Verde. Posteriormente, Antonio Navarro Wolf divulgou que assim como se apresentaria como precanditado. Então, fazendo parte da Coligação Colômbia, integrada pelo Polo Democrático, Compromisso Cidadão e Partido da Aliança Verde resultou fórmula vice-presidencial de Sergio Fajardo conseguindo o terceiro espaço na primeira volta. Para a segunda volta, a título pessoal, decidiu apoiar o candidato Gustavo Petro.

López começou a ganhar notoriedade após escrever no website da Revista Semana uma série de reportagens a respeito da anomalia, os processos eleitorais a grau regional. As denúncias do jornalista foram confirmadas no dia vinte e oito de agosto de 2013 com a emissão de ordem de captura contra o ex-governador por ligações com grupos paramilitares. E, hoje, a suprema corte de justiça deu-lhe a liberdade por não encontrar provas suficientes e ser vítima de suposta rede de falsas testemunhas.

Agro Ingresso Seguro. De acordo com López, o jornal, pertencente à família Santos, antigos donos e neste instante acionista do jornal, teria tentado beneficiar a candidatura do ex-ministro e ex-presidente (2017) Juan Manuel Santos. Além do mais Lopez referiu-se ao interesse do jornal por desejar ao chamado terceiro canal de tv privada do povo.

Em 2011 foi resolvida de um procedimento penal a seu favor, depois que o ex-presidente Ernesto Samper a denunciara por injúria e difamação por ter envolvimento com a máfia numa coluna do Tempo. Claudia López destacou-se como jornalista na Revista da Semana, O Tempo e A Cadeira Vazia. Suas pesquisas sobre isto parapolítico foram publicados os livros: “Parapolítico: a rota da expansão paramilitar e os acordos políticos”, “E refundaron da pátria: como mafiosos e políticos reconfiguraron o Estado colombiano”. Em meados de 2016, apresentou a sua visão a respeito como encerrar o combate armado, com as Farc, o livro “o

Adeus Às Farc! Em 2018 teve local pela Colômbia uma consulta nacional, que objetivava coibir a corrupção política. Esta foi promovida pelo líder do partido Aliança Verde, candidato à vice-presidência, e agora pra Prefeitura de Bogotá.